São Francisco de Assis: a vida, a história e o exemplo de um ser humano amoroso

Falar de São Francisco e não lembrar dos bichinhos nem combina, não é? Mas a história deste jovem italiano vai muito além desta condecoração.


São Francisco de Assis (1181-1226, Assis - Itália).

A história de São Francisco de Assis


Giovani nasceu no ano de 1181, na cidade de Assis (na Itália). Seu nome original é uma homenagem a São João Batista - posto que "Giovani" significa "João", em italiano.


Giovani era filho de um importante comerciante italiano e de uma respeitada senhora com raízes francesas.


Não há muitas informações sobre sua infância, mas os registros comprovam que Giovani teve uma educação cristã.

O pai de Giovani trazia da França muitas das mercadorias que vendia em seu comércio, e devido ao fato de Giovani gostar muito daquele país (em especial pelos laços maternos), o pai o apelidou como Francisco (Frantiesco - como pronunciado em italiano).


Quando jovem, Francisco já demonstrava um perfil aventureiro e dizia querer se tornar um cavaleiro para lutar nas guerras.


Segundo o frade e poeta Tomás de Celano, que foi o primeiro a escrever a biografia de Francisco de Assis, a pedido do Papa Gregório IX, Francisco era um jovem muito competitivo em jogos e "tirava onda" com aqueles que perdiam as competições contra ele. Conta também que embora Francisco fosse muito rico e gozador, jamais fora avarento.


Francisco era um jovem ambicioso e pleiteava um título de nobreza.


Entre os anos de 1201 e 1202, o jovem foi convocado para defender a sua cidade, Assis, dos infortúnios da cidade vizinha, Perúgia. Durante a batalha, Francisco foi detido e em situação de cárcere, enfraqueceu e adoeceu.


Apenas um ano após sua prisão, o jovem foi liberto - após seu pai pagar o valor de seu resgate.


A história conta que Francisco de Assis, ao regressar à sua cidade pátria, voltou mudado, já indiferente aos prazeres mundanos - acredita-se que o tempo de prisão tenha o feito refletir sobre os aspectos da vida.


No ano de 1205, já recuperado do trauma vivido, Francisco foi convocado a lutar em uma Cruzada - batalha que era considerada de alto garbo e nobreza, pelos Cristãos da época. Não hesitou.


Porém, durante a viagem, Francisco novamente adoeceu, e foi justamente no momento de repouso para se recuperar que o jovem teve um sonho (uma revelação), onde claramente uma voz pedia que ele abandonasse a cruzada e voltasse para a cidade de Assis.


Francisco assim o fez e é a partir deste fato que a sua transformação e conversão ao cristianismo iniciam-se.


Já dedicado à religião, Francisco faz a sua primeira peregrinação à Roma, e lá vive a sua primeira experiência de fé ao trocar de roupas com um cidadão em situação de rua, que muito precisava de suas vestes.


Então Francisco, vestido com as roupas surradas, resolve sentir na pela a miopia da sociedade para entender como aquelas pessoas viviam e eram tratadas, e volta a Assis, assim trajado, e decide pedir esmolas para realizar o seu teste.


Para a surpresa do figurante, um cidadão que sofre de Lepra (doença que Francisco tinha verdadeira repulsa) ao ver aquela cena do pedido de esmola, compadece, e agracia Francisco com algumas moedas, o abraçando e beijando sequencialmente em um gesto de compaixão.


Francisco se surpreende, em especial por não achar possível aquela atitude (pois nem sempre esperamos o melhor dos outros, não é?). E é neste ato de amor ao próximo que o jovem percebe o poderoso amor de Deus.


Deus e suas formas de nos tocar!


O Fato mais marcante da história de Francisco ocorreu quando o jovem, já convertido, durante uma de suas idas à igreja de São Damião (na Itália), ao olhar para a imagem de Jesus pregado à cruz ouve o seguinte pedido:


"Vá e reconstrua a minha igreja que está em ruinas".


Francisco prontamente, e crente na revelação que teve, sai daquela igreja, vende o seu cavalo e também algumas mercadorias da loja de seu pai. Com o dinheiro em mãos, volta então para o templo a fim de doar a quantia conseguida para restaurar aquele local.


Contudo o bispo recusa a oferta - pois conhecia o jeito severo do pai de Francisco e, portanto, não estava disposto a comprar aquela briga.


Francisco (25 anos), desolado, deixa a igreja e decide doar aquela quantia às pessoas mais pobres daquela região.


Ao saber dos atos de Francisco, seu pai fica furioso e castiga o filho, o aprisionando em casa, alegando que o mesmo havia enlouquecido.


Porém, a mãe de Francisco que já havia percebido a verdadeira riqueza e vocação daquele jovem, o liberta e o estimula a procurar pelo bispo para falar sobre seus anseios. E assim seu filho faz.


Ao tomar ciência do novo ocorrido, Pedro Bernardone (pai de Francisco) se dirige até a igreja e mais uma vez furioso, cobra do bispo uma recompensa pelo ato de caridade feito pelo filho.


Ao presenciar o escândalo, Francisco rebela-se contra o próprio pai, e em meio à igreja, proclama:


As roupas que levo pertencem também a meu pai, tenho que devolvê-las.

Em seguida, se despe por completo, ficando totalmente nú, e entrega suas vestes a seu pai, dizendo-lhe:


Até agora tu tem sido meu pai na terra, mas daqui em diante poderei dizer "Pai nosso, que estais nos céus”.

E foi a partir de então, que Francisco decidiu se afastar de seus pais, de seus amigos e de sua vida de riquezas e passou a se dedicar à ajudar as pessoas mais pobres, às pessoas que sofriam com a Lepra, assim como passou a se dedicar a reconstruir capelas e oratórios (seguindo fielmente a mensagem recebida em sua visão).


Para cumprir a sua missão, Francisco decide se misturar junto ao povo mais pobre da região e passou, literalmente, a pedir esmolas (doação de alimentos e remédios) para ajudar os mais necessitados, assim como a pedir a ajuda de comerciantes da época para doarem materiais de construção - que ele e seus voluntários usariam para restaurar as igrejas católicas.


Francisco era dos bons! Missão dada era missão cumprida ;)


A primeira restauração de Francisco foi a própria igreja de São Damião, seguida da restauração da famosa igreja de São Pedro e por fim da capela de Porciúncula (que nos dias de hoje é parte da grande basílica de Santa Maria dos Anjos, na Itália), esta última para onde Francisco mudou-se, na época, e passou a cuidar dos beneditinos em troca de moradia.


Já durante a primeira missa presenciada por Francisco na capela de Porciúncula, o evangelho trouxe a seguinte mensagem:


“Ide a pregar, dizendo: o Reino de Deus chegou. Dai, portanto, gratuitamente, o que haveis recebido gratuitamente. Não possuas ouro, nem duas túnicas, nem sandálias…”

Tocado pelas palavras, Francisco então tira suas sandálias, assim como o seu cinturão e fica somente com a sua única túnica - despindo-se de tudo o que para ele simbolizava o bem material.


E foi ali, na capela de Porciúncula, que se deu início à nova ordem de seguidores de Francisco, também conhecidos como franciscanos.


No ano de 1208, Francisco sente que deveria passar a reunir um grupo de frades para a disseminação da palavra em defesa da simplicidade e do povo mais pobre.


Vale ressaltar aqui que Francisco foi o primeiro líder, na história do cristianismo, a nomear a sua comunidade como "fraternidade''.


Em um ano a fraternidade de Francisco já contava com doze voluntários, e foi neste mesmo período que Francisco decidiu viajar até Roma para pedir ao Papa Inocêncio III a aprovação para a fundação da sua ordem de frades, que teria como regra principal o ato de viver em pobreza absoluta, ou seja, onde todos aqueles que decidissem por se juntar à fraternidade franciscana deveriam, portanto, viver como Jesus Cristo e seus apóstolos viveram: sem ter qualquer tipo de bem material/totalmente entregues à simplicidade.


Ao ouvir a intenção de Francisco, a corte do Papa ridicularizou a ideia sobre a Ordem franciscana. Contudo, o Papa Inocêncio III havia sonhado com Francisco, e no sonho Francisco se apresentava como um pilar que segurava a igreja - esta última que estava prestes a desmoronar, no sonho -, dando à mesma sustentação.


E foi pela crença em sua "visão", que o Papa aprovou a criação da ordem dos franciscanos.


A peregrinação de São Francisco de Assis


Em 1219, durante a peregrinação pelo Oriente, Francisco viajou para o Egito, onde conheceu um Sultão mussulmano.


Francisco convenceu o Sultão a deixá-lo pregar aos seus súditos, e assim o fez lindamente, contrariando o tabú de desrespeito à liberade religiosa (aliás, precisamos parar de pregar que o povo do Oriente naoãos

ós sua passagem pelo Egito, Francisco partiu para a Palestina a fim de continuar a pregar a palavra do Meigo Senhor Jesus. A escolha pela Palestina se deu após Francisco saber que diversos frades da região haviam sido martirizados no Marrocos.




Durante esta etapa da peregrinação, Francisco recebeu a notícia de que sua fraternidade natal, em Assis, vivia momentos de confronto, e então decidiu regressar.


Ao se deparar com a sua comunidade local de frades, em Assis, supreendeu-se, pois embora alguns dos franciscanos ainda seguissem a premissa básica de viver a pobreza absoluta, a maior parte do grupo havia abdicado desta regra, renegando o principal preceito franciscano.


Francisco colocou ordem na bagunça ;)


São Francisco de Assis e o Presépio de natal


No ano de 1223, na cidade de Greccio (Itália), um senhor chamou Francisco para pregar na missa de natal.


E foi nesta missa que o primeiro presépio da história foi criado.


Francisco reuniu pessoas e animaizinhos para recriar a cena do nascimento do menino Jesus, a fim de facilitar a compreensão do povo mais simples acerca da liturgia do natal.


E assim deu-se início à atual tradição de montar o presépio, durante as festas natalinas.


A história de São Francisco de Assis e os animais


São Francisco de Assis é o santo conhecido como o protetor dos animais.


A história da vida de São Francisco conta que o devoto conseguia se comunicar com os bichinhos, efetivamente.


Um dos relatos que mais contribuíram para esta condecoração se deu devido ao fato de que Francisco, quando em uma cidade chamada Úmbria, na Itália, amansou um feroz lobo. Tal fera, estava a aterrorizar a região.


Os relatos contam que Francisco foi ao encontro do lobo, curvou-se frente ao mesmo e então fez o sinal da cruz na cabeça do animal. Na sequência, conversou com o lobo, como se conversasse com um amigo, e amorosamente pediu ao animal que fosse mais pacífico e tolerante com os moradores daquela região.


Ao final do "papo fera", o lobo baixou a sua cabeça, confirmando que havia entendido o recado de Francisco, e dali em diante, passou a viver em harmonia junto à população da cidade.


O legado de São Francisco de Assis


Em setembro de 1224, Francisco recebeu em seu corpo os sagrados estigmas, que são as chagas da crucificação de Jesus, e até o seu desencarne tentava manter as feridas escondidas.


Com o passar dos anos, e sempre em sua missão pelo povo mais pobre, Francisco teve o seu sentido da sua visão muito acometido pela fraqueza da doença, e já mal conseguia andar devido também às chagas em seus pés.


Alguns autores relatam que Francisco viveu seus últimos dias em uma floresta, junto aos animais e na companhia de três frades.


Seu desencarne deu-se no dia 03 de outubro de 1226, na Porciúncula, e em 1228 foi canonizado pelo Papa Gregório IX. Seu túmulo está na basílica de São Francisco de Assis, na Itália.


São Francisco de Assis é um santo católico muito respeitado no mundo, por adeptos de diversas religiões.


Sua história e imagem refletem o exemplo de um homem que optou por viver em condições de pobreza absoluta, junto à população mais carente, para pregar ao mundo que todo ser humano, seja humano ou animal, merece ser tratado com dignidade e respeito.


Em 29 de novembro de 1924, o Papa João Paulo II proclamou São Francisco de Assis como Patrono da Ecologia.


Muitos teólogos consideram Francisco de Assis o segundo maior embaixador do Cristianismo no Mundo, após Jesus Cristo.


A vida, a história e principalmente os ensinamentos de São Francisco de Assis (protetor dos mais pobres, dos animais e Patrono da ecologia) são celebrados no dia 4 de outubro, em todo o mundo!


E eu acho que todo mundo deveria conhecer a história de Francisco, e eu me sinto feliz de poder contá-la a vocês (:


Viva São Francisco de Assis!

Que seus ensinamentos de amor ao próximo se perpetuem por todas as gerações!


--

Espero ter conseguido contar a história deste homem, canonizado pela igreja mas já santo pelos seus atos antes mesmo desta condecoração religiosa.


Se você puder, faça uma doação para a ONG Moradores de rua e seus cães (que atua em 17 cidades do Brasil) através deste link oficial da MRSC.


E obrigada por ler.

Foi um gosto escrever para você.


Que São Francisco de Assis interceda a bênção de Jesus sobre a sua vida (:


Bru

o Tarot da Bru


18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo